ID
PW
Login  Register  Help
My album reviews/comments My collection My wish list
Ponto Nulo no Céu - Brilho Cego cover art
Band
Albumpreview 

Brilho Cego

(2011)
TypeStudio Full-length
GenresMetalcore
Album rating :  -
Votes :  0
Lyrics > P > Ponto Nulo no Céu Lyrics (11) >

Brilho Cego Lyrics

(11)
Submitted by level Hykez
1. Brilho
2. Existência Seca
Hei você atrás dessas paredes de vidro frágil, partido
Ainda posso te ver através dos pedaços da sua moral

Afogado na fantasia de que tudo pode ser comprado
Mergulhado na hipocrisia da perfeição, joga o jogo sujo
Sua vida não passa de uma tela de contos
Restrita a números e aquisições
Existência seca

Disputas sem sentido, vivência equivocada
Valores distorcidos, vida superficial

Aquele que diz que nunca errou
Ao contrário do que pensa sempre se enganou
Diante do espelho se nega a ficar de pé
Pois muito lhe incomoda saber quem realmente é

Hei você achando que está protegido
Saiba que posso sentir os medos debaixo dos mantos sujos

Vida Superficial
Existência seca

Disputas sem sentido, vivência equivocada
Valores distorcidos, vida superficial

Deformado interior, nada tem a oferecer
Mas mantém as aparências, é o que todos querem ver

Afogado na fantasia de que tudo pode ser comprado
Mergulhado na hipocrisia da perfeição, joga o jogo sujo
Sua vida não passa de uma tela de contos
Restrita a números e aquisições
Existência seca
3. Nítido
Eu me faço a redenção
Transformando o que eu sou em luz
Só mantendo os pés no chão
Não cometo os mesmos erros
Que me fizeram cair

Em plena tempestade minha alma queima
Com vontade de enfrentar
Mais um dia de batalha

Todos os dias tenho que encarar
Essa batalha sem final

Já perdi o bastante
Tudo se vai num só instante
Vou ao chão mas me reergo
Me faço a redenção

De toda situação eu tiro uma lição
Seja ela boa ou ruim
Todos os dias são assim
É uma batalha que não tem fim

Todos os dias tenho que encarar
Essa batalha sem final

Sem fim, sem final
4. Clarão
Como um estalo clareia a mente
Uma visão é formada diferente
Traz junto a compreensão
De estarmos entre o retrocesso e a evolução

Explosão de pensamentos ofuscando os acontecimentos
Em meio a confusão, sem direção corpos vagam
A espera de algum sinal pelo qual sobrevivem

O mesmo fogo queima por dentro e faz sofrer
Das cinzas te levanta ainda mais forte pra viver
O mesmo fogo queima por dentro e faz sofrer
Das cinzas te levanta pra viver

Uma voz ecoou, o chão se abriu
Mas só ao longe se entendeu
Porquê a terra tremeu

Estabelecidos pela máquina, conceitos se desintegram
Nossas mentes se desprendem, de todo o resto se desapegam
Por um momento clareou, por um momento clareou

O mesmo fogo queima por dentro e faz sofrer
Das cinzas te levanta ainda mais forte pra viver
O mesmo fogo queima por dentro e faz sofrer
Das cinzas te levanta pra viver

Luz transcende o óbvio
Ilumina nossas fragilidades e defeitos
Mostrando que estamos todos sujeitos a alguma punição
A mesma punição.
5. Ponto Nulo no Céu
Vazio sem explicação
Por dentro o frio traz a sensação de andar só
Mal consigo pensar o que será daqui pra frente
Devo me consertar, arrebentar as correntes
Mal consigo pensar o que será daqui pra frente

E um ponto nulo no céu
É o que me faz acreditar
Que ainda existe um lugar
Onde eu possa viver sem meus sonhos matar

Caminhando na contramão
Dos que escolheram a trilha mais fácil
Transpassando a escuridão, determino meu destino
Enquanto a multidão segue vendada para o abismo
Sem ao menos questionar

Até quando vamos destruir
Sem nos preocupar com o que virá depois?
Nossos egos cheios de si têm medo de admitir
Que somos falidos pela ganância

Mal consigo pensar o que será daqui pra frente
Devo me consertar, arrebentar as correntes

E eu me pergunto se o que se passa aqui
É o fim da paz ou o início de um desastre
Porque não vejo mais em ti o lado humano de um ser

E um ponto nulo no céu
É o que me faz acreditar
Que ainda existe um lugar
Onde eu possa viver sem meus sonhos matar

Quanto tempo mais esperar
A mudança chegar sem nada fazer
É hora de acordar, só assim fará salvar
É hora de acordar
6. Penumbra
Romperam as fronteiras
Da percepção
Abriram os portões da consciência
Desmentidas profecias
Ditas que ficaríamos presos aqui
Revelado um novo tempo
De sentidos aguçados

Ressurgiu, ressurgiu
O sentimento adormecido por anos
Ressurgiu

Redefinida a realidade
O que antes era pálido, agora brilha

Do outro lado dos muros eu vejo
O manifesto da alma pela libertação

1000 fibras que nos mantiveram presos
No deserto das sombras
Onde vidas secam e só floresce a dor
Onde o brilho que revela
Também pode cegar
1000 fibras nos mantiveram presos
Mas não mais vão segurar
Não vão mais segurar

Do outro lado dos muros eu vejo
O manifesto da alma pela libertação

Romperam as fronteiras
7. Subsolo
Do subsolo viemos
De pé sempre estaremos prontos pra lutar
Nervos de aço, íntegro espírito, prosseguimos destemidos
Esperando a nossa vez de crescer

Carregando o dever de ser o sol
Onde o escuro teima em confundir o caminho certo
No peito queimando a gana de vencer
A vontade permanente de ganhar não deixa por nada abalar
Em cada manhã renascemos e fazemos a mudança
Onde a esperança se tornou somente uma lembrança
De um tempo que não mais voltará

Evoluímos com as diferenças
Compartilhamos sem ter desavenças
Pra construir uma revolução, resistir a toda a pressão
De qualquer jeito ultrapassar, quebrar paradigmas e continuar
A expandir a mente, olhando sempre pra frente

Porque no modo natural todo mundo é igual
E sua raça ou sua cor não dita nenhum valor

Somos o espelho do mundo
Reação secundária contra um sistema de falhas

Reanimando qualquer vida
De quem não vê mais saída, para os problemas solução
Somos a própria salvação, reencarnação de guerreiros livres
Nós só queremos viver sem ter que pagar pra ser alguém
Livres de máscaras, livres de imposições

Nossa causa não tem nome
Nossa bandeira não tem cor
Nossa missão é união de povos e crenças

Porque no modo natural todo mundo é igual
E sua raça ou sua cor não dita nenhum valor
Sobre quem você é

Nós só queremos viver sem ter que pagar pra ser alguém
Livres de máscaras, livres de imposições
8. Sem dor, sem vida
A cada passo que eu dou sinto me aproximar Das respostas indispostas
Que passaram despercebidas
Durante o sono acomodado da consciência
Cada degrau acima aumenta o desafio
Cada palavra proferida enfraquece um inimigo
Novas barreiras vão surgindo
E eles vão caindo
A cada novo dia as possibilidades se renovam
De cabeça erguida eu corro
Ao encontro de uma chance
Mais uma chance de me reencontrar

Quem age somente por interesse
Não merece a recompensa
Pois sem sacrifício não há glória
E sem dor não há vida

Conheço quem sou, sei bem o que quero
Hoje sei onde vou, corro atrás não espero

Se eu não fizer por mim
Quem irá me proteger

Não quero nada fácil, faço acontecer
Conquisto meu espaço
Não espero de ninguém

Quem age somente por interesse
Não merece a recompensa
Pois sem sacrifício não há glória
E sem dor não há vida

Conheço quem sou, sei bem o que quero
Hoje sei onde vou, corro atrás não espero

De cabeça erguida eu corro
Ao encontro de uma chance
Mais uma chance de me reencontrar
9. 5:45
10. Peito Aberto
De peito aberto eu vou buscar a minha estrada
Sem medo de me machucar
As cicatrizes servem pra mostrar o quanto eu tentei
Permaneço aqui porque não desisti

Um a um vou derrubar
Dificuldade nenhuma vai me parar
Obstáculos piores já fiz quebrar

Chegou a hora de decidir
Se vai correr ou ficar
Se esconder não é lutar
Só faz valer quando se crê
E só temer não vai ajudar

Não há mais saída pra quem não quer perder
O sofrimento é inevitável, você só tem que escolher
Entre o medo e o saber

Inspira de novo
Retoma a coragem de vez

Ainda há tempo pra sonhar, mas agora é hora de acordar
Abri os poros pra compreender que a minha força é maior
E vai me carregar onde o desejo alcançar

Um a um vou derrubar
Dificuldade nenhuma vai me parar
Obstáculos piores já fiz quebrar

Olhos atentos estou a tudo que se move nos redores
Detalhes ficam cada vez maiores
11. Sopro
Tão longe do alvo
De onde quer chegar
Distante dos objetivos
Por não acreditar
Que o mesmo sol pode iluminar
Todos de uma só vez

O vento sopra a favor
De quem sabe pra onde ir

Contra a corrente
A favor dos sonhos
Perdido nos labirintos da existência

O vento sopra a favor
De quem sabe pra onde ir
12. Na sombra do Ego
Já cansei de me repetir
Na pretensão de mudar
Algo que eu já sei como vai terminar

Já cansei de insistir
Nunca quiseste ouvir
Os avisos foram dados, nem se mexeu

Prefere morrer só a assumir as responsabilidades
Reconhecer que errar é ser alguém
Tanta indiferença a quem está a sua volta
O que provém do outro
Nada mais te importa

Palavras não surtem mais efeito
Sobre o escudo que se impõe
Diante do seu trono inalcançável

Palavras não surtem mais efeito
Contra as barreiras que envolvem
O seu corpo intocável

Você não entende,
O que te prende aí é sua ignorância
Tanta arrogância, só piora sua condição,
de se afundar nessa prisão...

Traçando sua própria decadência
Despenha de joelhos sobre o orgulho
Ferido e incapaz
Já não lhe serve mais

Achou que era o dono do mundo
Agora se rendeu, caiu, perdeu
E pra sair lá do fundo terá que correr pela paz
Seu passado obscuro, deixado para trás
Seu passado obscuro, deixado para trás
Já não lhe serve mais..

Palavras não surtem mais efeito
Sobre o escudo que se impõe
diante do seu trono inalcançável

Palavras não surtem mais efeito
Contra as barreiras que envolvem
O seu corpo intocável

Você não entende
O que te prende aí é sua ignorância.
13. (R)Evolução Mental
Palavras vazias de sentimentos e cheias de intenções
Querem nos enganar mas não vou participar
Dessa conspiração
Me curar, me curar

Passo por cima da sua corrupção
Expelindo o veneno injetado em nossos sonhos

Eles vestem as peles mais bonitas
Carregando malas cheias de mentiras escritas
Controlando fatos e armando a desordem
Pra obter o poder absoluto

Revolução mental, evolução cultural
Vou me desligar dos seus esquemas
Evolução mental, revolução cultural
Vou me desligar

Se aceitarmos tudo que nos é mandado
Estaremos sempre condenados
A mercê dos limites demarcados
Pelos senhores encarregados do terror

Sustentados pelo medo
Escondem seus segredos atrás de portas trancadas
E ao mesmo tempo
A maioria convencida recebe de graça
A ignorância distribuída
Alimentando o ciclo das farsas

Livre do veneno sou mais puro

Passo por cima da sua corrupção
Expelindo o veneno injetado em nossos sonhos

Revolução mental, evolução cultural
Vou me desligar dos seus esquemas
Evolução mental, revolução cultural
Vou me desligar

Se nenhum de nós ousar a questionar
A qualquer imposição
Onde vamos parar?
Me desligo aqui
Info / Statistics
Bands : 28,270
Albums : 101,797
Reviews : 6,567
Lyrics : 94,281
Top Rating
 Amorphis
The Beginning of Times
 rating : 88.7  votes : 15
 Dream Theater
Live at Luna Park
 rating : 88.3  votes : 14
 Kiss
Destroyer
 rating : 87.3  votes : 10