ID
PW
Login  Register  Help
My album reviews/comments My collection My wish list
Pato Junkie - Doido e Violento cover art
Band
Albumpreview 

Doido e Violento

(2016)
TypeStudio Full-length
GenresHardcore Punk
LabelsIndependent
Album rating :  -
Votes :  0
Lyrics > P > Pato Junkie Lyrics (12) >

Doido e Violento Lyrics

(12)
Submitted by level ProBands
1. PxJx (0:44)
Nas sombras de uma esquina qualquer
Amaldiçoado pela miséria dos nossos tempos
Untado pela visceral carnificina
Mais além dos que vislumbram a luz apática
Eis o espectro que ofusca o brilho da insensatez
2. Playboy tem que Morrer (2:32)
Um, dois, três, quatro...
Playboy filho da puta, viadinho, você vai quebrar a cara se você se esconder.
Chega de carro bem na porta do barzinho e da uma de otário só pra mim não te bater.
Eu já falei eu vou quebrar a tua cara, você tentou se enturmar você vai ter que aprender.
Sou metal punk de verdade e quebro a cara de otário playboy filho da puta igual você.

Eu não gostava de você, playboy tem que morrer.
Eu não gostava de você, playboy tem que morrer.
Tem que morrer porra!

E agora que a batalha ta armada você vai chamar os “home” pra tentar se defender.
Não vai adiantar nada, pois sou gangster armado acostumado colocar porco fardado pra correr.
Vou te contar meu canivete é afiado e na corrente um cadeado eu preparei pra te bater.
Sou metal punk de verdade e quebro a cara de otário playboy filho da puta igual você.

Vaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!
3. Porcos Fardados (1:48)
Eu não aguento mais essa marcha nacionalista que tentam defender o poder desta nação.
Porcos militares um bando de vigaristas que andam pelas ruas a fazer destruição
E pelas ruas da cidade nós fazemos anarquia, pra acabar e eliminar com o poder da burguesia.
E somos punx de verdade e o poder desta nação, esta nas mãos de um medíocre e de um político ladrão.

Serre o punho e grite liberdade, serre o punho e grite não aguento está nação.
Serre o punho e grite liberdade, serre o punho e grite destruição.
4. A Bomba é o meu Dízimo (1:44)
Na manhã dominical estaremos todos lá.
A homilia do inferno você vai ratear.
Faça sua oferta pra no céu entrar.
Ou vá pro inferno que lá é seu lugar.

Ergam suas mãos a sua desgraça,
Ergam suas mãos a sua miséria.

Venha comigo irei te ajudar,
O que sai de min ira te curar.
Levante suas mãos e dê graças no altar.
E torça pro capeta para a bomba não estourar.

Ergam suas mãos a sua desgraça,
Ergam suas mãos a sua miséria.
5. De Pião pra Pião (1:56)
Irritados e cansados de tanta exploração.
Vamos juntar ao som desta canção.
Chega de mentiras, chega de enrolação.
Que aqueles que estão lá em cima nada farão.
Trabalhadores operários sempre inconformados.
Devem refletir sobre está situação.
E este bando de políticos que servem ao patronato.
E deixam para nós a dor da ingratidão.

Vamos juntar as forças.
Vamos guiar, nos mesmos.
E preparar pra luta.
6. Cala Boca (1:12)
Cala boca ignorante, tua opinião é lixo,
Tua existência é fútil, você é um idiota útil.
Todo o sistema te iludiu, toda sociedade consumiu,
Toda esperança te cegou.

Acredita que a democracia lhe trouxe sua liberdade,
Mas tudo isso é mentira você caiu no conto do vigário.
Todo o sistema te iludiu, toda sociedade consumiu,
Toda esperança te cegou.

Agora se fudeu!
7. Cancro (0:14)
Cancro!
8. Detenção sem Muros (1:37)
Quer que eu te conte uma piada.
Ela anda por aí armada
Mantendo o pobre em seu lugar
Conservando a roubalheira alheia.

Detenção sem muros...
Vou sobreviver!

Esse fenômeno de regeneração
Me apresenta forte pro inimigo confusão.
Nossa dor comemora o mal.
Indicador de eficiência policial.

Detenção sem muros...
Vou sobreviver!

O estereotipo do ladrão
Foi criado para distrair a população
Que si conforma e não condena
Os verdadeiros culpados desse sistema.

Detenção sem muros...
Vou sobreviver!
9. Fuck Them All (1:41)
Quanto tempo nessa vida que eu posso suportar.
Eu sinto tanto ódio por tanta hipocrisia.
Já não faço mais questão, de ser compreendido.
Estou pouco me lixando pelo poder da moral.

Para o sistema eu caguei, toda classe eu perdi.
Não compreendo tamanha ignorância da sociedade.
Pouco me importa o que dizem o que é correto.
O meu caminho eu faço.

Fuck them all!

Pelas ruas da cidade só encontro repressão.
Toda forma de preconceito gera mais ódio e indignação.
Da minha vida eu farei uma luta constante.
Pela espada viverei, pela espada morrerei.

Não me calo diante de tanta opressão.
Eu me nego a ajoelhar.
Pouco me importa o que dizem o que é correto.
O meu caminho eu faço.

Fuck them all!
10. Sofrer (2:12)
Com salário baixo vamos ter que aguentar.
E esperar a morte com a guerra nuclear.
O capitalismo é a base pra morrer.
Consumo em exceção só te faz sofrer.

Pequenas fagulhas me fazem acreditar.
Que num fogaréu é difícil se queimar.
Com tanta roubalheira para se alimentar.
É preciso roubar, é preciso matar.

Sofrer...
11. Tênis de Rolê (3:28)
Pé bichado, tênis rasgado, isso já é normal.
Todos sujos e revoltados com cara de mal.
Sai da frente, passando por cima, fazendo muito barulho.
Todos sujos e revoltados soltados pelo mundo.

...Junkie... Junkie.

Meu skate dá de grind na veia, bombeando para o coração.
Meu skate dá de grind na veia, relembrando outra geração.

De board style, corrimão no peito, pode acreditar.
Ibiraboys trincando na sessions, botando pra quebrar.
A maré ta fraca, mas sempre tamo junto no que vê.
Pato Junkie é overall fechando nos rolê.
Ganguero nato, basudo farto, na situação.
Buscando fama como gusta a lá Chorão.
Formando a banca com o carrinho só sangue bom.
Sem treta juntos sempre causando na situação.

Meu skate dá de grind na veia, bombeando para o coração.
Meu skate dá de grind na veia, relembrando outra geração.

Mente livre, punho livre, esse é meu mundo.
Tamo chegando, vamo que vamo.
Vim pra somar se ta skate ou sem shape é noix, é noix que tá.
Das ruas de terra com pé sujo, venho de lá.
SM quebra louco neguinho, nem vem tirar, os parceiros lol que não é lok.
É Pato Junkie, sou dedo na ferida Mc da veia punk, não é Al-Qaeda e Hizbolla, til!
É noix mesmo comas as rimas perigosas eu venho trazendo veneno, pelos becos sim e junto com os maloqueiro.
Tenho voz por min, não to sozim juntei com os metaleiro.
Suave meu bang é pesado, e muita zica que não bota fé, registra ai, os neguinho na fita.
Chinelo sim, descalço sim, também tênis de role eu rolei aqui e me chamaram ali e eu vou me envolver sem querer ser é só crescer!

Bem de pequeno sonho de ir pro role e com os parceiros envolve porque, TÊNIS DE ROLÊ
Uma peita loca, boné combinar com que, pra sair style na hora de vencer, TÊNIS DE ROLÊ

É Junkie, Junkieee...
É Junkie, Junkieee...
TÊNIS DE ROLÊ
12. Mundo de Rato (2:37)
Mundo de rato me deixa irritado
Mundo de rato me deixa saturado
O que a pra fazer
Para ratos não vamos temer
Mundo de rato você é um retardado

Mundo de rato, mundo de rato, mundo de rato...
Mundo de rato, mundo de rato, mundo de rato...

Mundo de rato, mundo de rato.
Mundo de rato, mundo de rato.
Mundo de rato, mundo de rato.
Mundo de rato, mundo de rato.
Info / Statistics
Bands : 28,303
Albums : 101,899
Reviews : 6,574
Lyrics : 94,545
Top Rating
 Pantera
Cowboys From Hell
 rating : 87.4  votes : 84
 Velvet Revolver
Contraband
 rating : 80.7  votes : 9
 Opeth
Pale Communion
 rating : 85.2  votes : 36